segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Dos meus dias | Juntos pela Patrícia

Hoje o assunto que vos trago é bastante pessoal, sério e delicado. Muitos pedidos de ajuda anónimos surgem nas redes sociais e nem sabemos se são reais ou falsos. Posso apenas dizer-vos que este é real. Quero portanto partilhar convosco a história da Patrícia, uma grande amiga minha. Peço-vos com todo o amor que percam alguns minutos a ler. A Patrícia será apenas uma rapariga como tantas outras a quem a vida pregou uma partida ingrata. O mínimo que ela pode fazer por nós é alertar-nos com a sua história para o que realmente importa na vida e para estarmos atentos. O muito que podemos fazer por ela é contribuir. Se não poderem ajudar, partilhem a sua página no facebook e ajudem esta informação a chegar a quem pode. Obrigada a todos!


"Sou uma jovem de 26 anos com cancro da mama metastizado nos ossos e fígado. Para esclarecer, infelizmente, não existe cura para metástases ósseas, o que torna o cancro numa doença crónica, ou seja, para toda a vida. É possível viver com cancro, mas sempre acompanhada por médicos e realizando todos os tratamentos inerentes.
Vou contar resumidamente a minha história para vos por a par da minha situação: Após completar 26 anos, em Março deste ano de 2014, tive a pior notícia da minha vida. Soube que tinha cancro da mama. Carcinoma Invasivo. 
Tudo aconteceu demasiado depressa, deixando escapar tantas hipóteses de ação… Recordo-me de estar completamente embrenhada na vida, como qualquer outro jovem da minha idade, quando tudo começou. Detetei em finais de Setembro de 2013,um nódulo pequeno no peito, com dimensões semelhantes a vários quistos que já tinha tido e que desapareciam espontaneamente. Era algo perfeitamente normal diziam os médicos e, mesmos após ecografias, mamografias, e palpações só foi real para os médicos que tinha cancro após a confirmação pela biópsia. Com tanta ação de sensibilização, exames de prevenção e rastreio, pensei que fosse óbvio quando algo de mal acontece.
Por onde passei, todos me tranquilizaram e eu acreditei no que me disseram. Contudo fiquei preocupada, o nódulo aumentava constantemente e então fiz várias pesquisas sobre o assunto, insistindo muitas vezes para que analisassem o meu nódulo. Tudo foi demasiado demorado. Como tinha 26 anos os médicos sempre despreocupados de mais, agiram como se fosse impossível ter cancro e eu fosse paranoica. Infelizmente para mim isso não era verdade. Descobri o pesado fardo que a vida me deu a carregar. Passei de uma vida agitada, da correria para as aulas de mestrado, trabalho, ginásio e dos afazeres de doméstica para a estagnação. Para a espera e ansiedade. Para o medo.
Congelei a matrícula de mestrado em Biologia Molecular e Genética, porque já não suportava estudar o cancro, quando ele é o meu pior inimigo. Tenho de me rodear de outros assuntos. Preciso de positivismo. 
Infelizmente, não posso treinar por agora. É talvez o que me custe mais. Passava 2 horas por dia a treinar, 6 dias por semana. Era uma viciada em desporto e fanática pelas dietas saudáveis. Quem me conhecem sabe que a lancheira e o saco do ginásio andavam sempre comigo. 
É irónico para mim analisar a minha vida antes desta calamidade, desta maldição.
Quando ainda nem tinha recuperado do choque inicial, comecei a sentir imensas dores. As dores eram muito fortes e fui várias vezes de urgência para o hospital em busca de respostas para tal sintomatologia e, principalmente à procura de ajuda! As dores eram de tal ordem que eu não conseguia comer sozinha e passava o dia deitada. Ao mínimo esforço para me mover, as lágrimas caiam pelo meu rosto de tanta dor que sentia… 
Após ter sido vista por vários médicos, sempre muito queixosa, experimentei várias medicações (desde um simples anti-inflamatório a cortisona e morfina). Eu já temia o pior e exigia uma rapidez de diagnóstico. No fim de mais uma biópsia, descobri que a doença estava nos ossos…. Fiquei desolada, arrasada. Sabia o que isso significava. Uma sentença, uma cruz para carregar sempre comigo enquanto a doença me permitir viver. 
Avancei para os tratamentos de quimioterapia (a meio do mês de Abril), sabendo que o tratamento seria longo, e desejosa de resultados positivos. As dores que sentia desapareceram, apesar do cansaço e dos efeitos secundários do tratamento. Tudo indicava que o tumor da mama tinha diminuído e não era expectável avanço da doença. Contudo, após esta fase do tratamento, a vida apunhalou-me novamente com a notícia que a doença progrediu para o fígado. Apenas no final de 6 ciclos de quimioterapia a minha situação foi reavaliada. Visto ser um caso tão bicudo, é incompreensível para mim não ser monotorizada mais frequentemente. A doença já está a ser cruel comigo, não existe espaços para erros e falta de atenção!
É necessário uma nova abordagem médica. Devido à gravidade do meu problema e à agressividade do meu cancro não tenho tempo a perder! Não me posso dar a esse luxo, está em causa a minha vida!!! É sabido que nas mulheres mais jovens a doença é mais agressiva, muitas vezes fatal e, infelizmente, o sistema nacional de saúde está apenas preparado para os casos normais (baseando-se nos dados estatísticos em que cancro da mama afeta mulheres de meia idade). Foi com o que me deparei até ao momento. No meu caso o mínimo erro ou tempo de espera podem fazer a diferença entre viver ou não.
Ter cancro em idades jovens não é impossível, é uma dura realidade e é necessário ter consciência disto para evitar quadros complicados, situações irreversíveis, dor para o doente e familiares, sem falar nas despesas de saúde que se acumulam quando em vez de prevenção da doença existe incredulidade. Nada na medicina é estanque, cada caso é um caso e a doença não existe só nos outros de outro país distante. É necessário uma grande capacidade de organização, profissionalismo e compaixão para lidar com casos extremos que fogem á regra. 
É por isso que vos escrevo, preciso da vossa ajuda!!! Para ter mais esperanças, para ter o melhor tratamento que a minha condição necessita. Ajuda para que a minha dor seja amenizada, para que tudo seja menos penoso!
O meu estado requer cuidados urgentes e continuados. Necessito de tratamentos invasivos como operações. Necessito de radioterapia, medicação oral e intravenosa, provavelmente mais quimioterapia… Ou seja, acompanhamento constante enquanto viver. Para que tudo corra pelo melhor e seja feito a tempo, terei de recorrer aos cuidados de saúde privados. O encadeamento do tratamento e a rapidez em todos os passos é essencial.
Preciso de fazer tudo para continuar viva, ninguém irá lutar por mim, apesar do amor que me rodeia. Se muitos contribuírem, mesmo com pouco isso fará a diferença! Não posso trabalhar por enquanto e, nos dias que correm qualquer família tem dificuldades financeiras para viver com saúde, quanto mais na falta dela. 
Só eu sei o quanto me é difícil expor a minha situação publicamente, sempre fui reservada com a minha vida e fujo a exposições, mesmo nas redes sociais. Mas a vida obriga-me a pedir a vossa ajuda. 

Muito obrigada! 
Ana Patrícia Justino Duarte"



33 comentários:

  1. inês, sei que és "apenas" amiga, mas quando as amigas são chegadas,são família. a mim, as palavras de conforto não me fazem sentir melhor. podem chamar-me insensível, podem chamar-me fria, podem chamar-me o que quiserem, mas eu prefiro o meu espaço, o meu silêncio, o meu momento. por isso apenas te vou desejar força e coragem, porque a família deve estar arrasada e os amigos têm que ser o pilar não apenas da patrícia mas de toda a família. força. uma grande beijoca. vou partilhar.

    ResponderEliminar
  2. Meu Deus... Isto é arrepiante... Vou ser sincera e dizer que para mim é muito dificil ajudar, mas logo que possa fá-lo-ei...

    *Beijinhos*
    Caty<3
    http://myfairytale4.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Dói mesmo ler este relato, assusta saber como a vida humana é tão efémera, tão vaga. Vou certamente partilhar Inês!

    <3
    http://zazzish.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. nem consigo imaginar a dor que deve ser quando nos dizem "tens cancro na mama" e pior "está a alastrar" :s
    espero que ela consiga viver por imenso tempo, e que com o tempo ela volte a se reencontrar consigo própria, e que desfrute da vida como antes! desejo tudo de bom para ela e que Deus olhe por ela, por favor! :/

    ResponderEliminar
  5. meu deus comovi-me :( deve ser horrível viver nessa angustia constante vou partilhar sendo que é a única coisa que posso fazer para ajudar
    http://acordossonhose.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. :((
    ja dei gosto +.+
    uma optima semana :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. wow... estou sem palavras! toda a força do mundo! <3

    ResponderEliminar
  8. Nossa deve ser horrível isso! Relato e tanto hein

    www.fashionworldbykaren.com
    Instagram: www.instagram.com/fashionworldbykaren
    Facebook: www.facebook.com/fandbworld

    ResponderEliminar
  9. Olá boa tarde, Inês já coloquei aqui o nome dela para fazer orações e enviar energias positivas, tenho fé que ela vai conseguir toda ajuda necessária, desejo muito força.
    Boa semana.
    Bjinhos ♥
    http://sarranheira.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Hi dear <3

    You have such a lovely blog. Would you like to follow each other on gfc/g+/bloglovin ? I also switch textlinks and banners.

    Thanks already & Let me know :)

    xx
    isa | My Blog: Stoer & Sexy

    ResponderEliminar
  11. Eu sinto muito, muita muita muita força a ela!
    Beijos, Ana do dia

    ResponderEliminar
  12. Senti muito no relato, sendo sincera eu não consegui ler até o final! :/ Vou apresentar você em minhas orações Patrícia! Você é nova e com certeza vai sair dessa!

    ResponderEliminar
  13. Muita força para ela, com coragem e determinação ela vai ultrapassar este problema. Desejo-lhe toda a força do mundo :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  14. Tão triste, e ainda mais triste o facto do estado ainda não estar preparado para apoiar uma jovem, no inicio da sua vida, em situações como estas! É de ficar envergonhado mesmo!
    Espero que ela consiga todo o apoio que necessita!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  15. nao imagino nem quero imaginar o que ela estara a passar! mas ela parece ser uma rapariga cheia de força e que receba toda a ajuda que precisa vou la ver a pagina dela
    bjinhu*

    ResponderEliminar
  16. Very interesting post!
    ritaaflyatunova.blogspot.com

    ResponderEliminar
  17. Um bom texto que arrepiante, muita força ;)

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  18. Nossa.... Força...

    Bjos

    chuvadecamelias.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  19. No inicio do texto fiquei um pouco confusa porque não sou tão familiarizada com o pt de portugal (sei que é quase igual ao meu, mas mesmo assim tem coisas que não entendo). Mas depois que vi que se tratava de um cancer =\ infelizmente esse é um mal que tem afetado muitas pessoas de todas as idades. força para ela e que ela consiga passar por isso com a melhor qualidade de vida possivel! beijos

    baladecaramelo.com.br

    ResponderEliminar
  20. R: nem mais querida!!


    *Beijinhos*
    Caty<3
    http://myfairytale4.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  21. Thanks for the sweet comment on my blog. I am following back. www.chicfromhair2toe.com

    ResponderEliminar
  22. Loving it… awesome life attitude... through hope and faith we can conquer it all <3
    See you soon!
    Borka
    www.chicfashionworld.com

    ResponderEliminar
  23. Na forma que posso ajudar é a partilhar! Um beijo de força Patricia familia e amigos!

    ResponderEliminar
  24. Tive de engolir em seco uma data de vezes! :/

    ResponderEliminar
  25. such a nice quotation. very inspiring :)

    xx Janelle
    Styles & Prints

    ResponderEliminar
  26. Inês... que história triste, comovente, porém inspiradora. Parece-me que Patricia já possui coragem e o positivismo de que ela precisa!
    E veja a coincidencia, logo após postar no meu blog um pouco da história do ator Christopher Reeve, você nos traz essa história bonita, e vejo que na página do Facebook, da comunidade "Juntos pela Patrícia", tinha na foto de capa uma frase do próprio Christopher Reeve!
    Realmente, uma história inspiradora desta moça Patrícia, exemplo de força de vontade para todos.

    ResponderEliminar
  27. E mesmo injusto , mas desculpa penso que quando acontece com as crianças é muito pior!!!!! As melhoras

    ResponderEliminar
  28. Olá, Inês...
    Conheci a historia da sua amiga, ontem pela televisão, quando fazia zaping ao inicio de uma noite repleta de cansaço, pois também eu vivo de perto uma situação dolorosa, pois tenho o meu filho de 17 anos de idade com um linfoma e talvez por viver e sentir esta dor todos os dia, a historia chamou-me atenção e vi até ao fim a reportagem. Tenho a dizer que a sua amiga é uma mulher cheia de coragem, muito positiva e lutadora .Para ela um grande abraço de força e coragem pois esta luta é muito dura, mas com a graça de deus ela sairá vencedora.
    Tudo de bom para si, que se revela uma grande amiga e as melhoras para a Patrícia...

    ResponderEliminar